Mobilização por uso público da Fábrica de Cimento de Perus atinge 10 mil pessoas

por Jéssica Moreira

Mais de dez mil panfletos entregues. Esse foi o resultado do primeiro dia de mobilização do Movimento pela Reapropriação da Fábrica de Cimento de Perus. Fruto do esforço coletivo de diversos moradores, organizações sociais, professores, sindicato, artistas e demais entusiastas da causa, a semana de mobilização vem sendo organizada desde fevereiro, como parte das ações que buscam mostrar à população local a importância do uso público da antiga indústria.

1º dia de panfletagem/ Divulgação

1º dia de panfletagem/ Divulgação

Das 17h às 20h, os integrantes do Movimento se concentraram nas duas saídas da estação de trem de Perus, onde entregaram os folhetos e explicaram os principais objetivos reivindicados, a história por trás do prédio abandonado e como cada morador ou moradora poderia colaborar. Durante a intervenção, diversas pessoas demonstraram apoio às causas levantadas, que são, principalmente, a construção de um Centro de Lazer, Cultura e Memória do Trabalhador e uma Universidade Livre e Colaborativa no espaço abandonado.

Ao lerem a frase “uso público da fábrica”, alguns estudantes do bairro se enchiam de alegria, já que até hoje a arquitetura e tamanho causam a curiosidade dos jovens, que têm poucas opções de lazer e cultura no bairro. A organização de uma universidade também anima a população mais nova, que aponta que estudaria no local.

Os mais antigos veem na proposta uma forma de resgatar a memória que tinham da época que a fábrica ainda estava em funcionamento. “Poderíamos fazer um baile na entrada da fábrica, assim como acontecia no Carramanchão”, recordou um morador.

Após a panfletagem, a estudante de turismo Janaína Fernandez procurou o movimento no Facebook e se colocou à disposição para colaborar. “Amei a iniciativa e quero deixar à disposição minha boa vontade de ajudar com o crescimento de Perus. Tenho paixão por Perus, onde moro e vejo sim um potencial que precisa ser trabalhado. Sem dúvida, farei o possível para fazer parte das reuniões, pois eu acredito que podemos e vamos conseguir melhorar e valorizar o bairro”, disse.

1º dia de Panfletagem/Créditos: Divulgação

1º dia de Panfletagem/Créditos: Divulgação

Nas escadarias que davam acesso à Praça Inácio Dias, os passageiros podiam visualizar também uma exposição de fotos da colaboradora Ariane Pires, que mostra o estado de degradação no qual se encontra o prédio da primeira fábrica de cimento do Brasil. Mesmo com a correria do horário de pico, várias pessoas paravam e comentavam sobre alguma recordação que as fotos traziam. “Eu brincava nesse trenzinho”, disse uma moça.

Enquanto acontecia a entrega dos panfletos, o artista peruense Valmir Santana realizava uma intervenção na praça simbolizando a luta por mais cultura em Perus. Nos próximos dias, o Movimento continua com as panfletagens a todo vapor. Confira nossa agenda:

2ª Panfletagem: 15/3 – sábado, às 8h.
Local: Feira livre de sábado do Recanto dos Humildes – Rua Recanto dos Humildes
Horário: 
das 8h às 12h
Concentração: em frente a EMEF Jairo de Almeida.
Responsáveis: 
Maria Helena Bertolini, Márcio Bezerra, José Clovis Medeiros Lima, Élia Inês, Thiago Rodrigues.

3ª Panfletagem: 16/3 – domingo, às 8h.
Local: Feira  livre de domingo do Jardim do Russo – Rua Engenheiro Nogueira Soares com a Av. Dr. Silvio de Campos.
Horário: 
das 8h às 15h.
Concentração: 
em frente ao mercado Ricoy, localizado na AV. Dr. Silvio de Campos. 
Responsáveis: 
Tatiane Menezes e Marins Godoy.

4ª Panfletagem: 16/3 – domingo, às 8h.
Local: Feira de domingo da Vila Caiúba – Rua Felipe de Campos – Perus
Horário: 
das 8h às 12h
Concentração: 
em frente ao Sacolão Caiubananas
Responsáveis: Mario Bortotto, Regina Bortotto, Maria Helena, Marcio Bezerra, Seu Tião, Euler Sandeville.

Próxima reunião será no dia 27/3, às 19h, no Sindicato do Cimento, Cal e Gesso de Perus, na Rua Padre Manuel Campello, 182, Perus – SP.

Assine a petição: Pela Desapropriação, Conservação e Uso Público da Fábrica de Cimento Portland Perus.

Este slideshow necessita de JavaScript.


Sobre o Movimento pela Reapropriação da Fábrica de Cimento de Perus
O Movimento pela Reapropriação da Fábrica de Cimento de Perus é um coletivo formado pelas principais lideranças do bairro – situado na região noroeste de São Paulo – assim como estudantes, professores, universitários e demais ativistas que lutam em prol da utilização do espaço da antiga indústria, atualmente degradado pela ação do tempo. As principais reivindicações dessa rede são a Instalação do Centro de Lazer, Cultura e Memória do Trabalhador, segundo  aspiração já antiga do Movimento Queixada. Instalação de uma Universidade Livre e Colaborativa articulada ao Centro do  Trabalhador e Instalação de núcleos de pesquisa e outras instituições públicas voltadas à construção do conhecimento, cooperação e à formação.
Curta nossa página no Facebook: https://www.facebook.com/movpelareapropriacaofabricacimentoperus

Serviço à imprensa
Jéssica Moreira
jessicamoreira.mural@gmail.com

Anúncios

Publicado em março 14, 2014, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: